LAJE DE SANTOS

 


kadu pinheiro_laje de santos_budianus rufus kadu pinheiro_laje de santos_naufragio moreia kadu pinheiro_laje de santos_budianus rufus_

     Uma das saídas de Mergulho mais procuradas pelos mergulhadores paulistas, a Laje de Santos oferece possibilidades de encontros inesquecíveis: grandes cardumes, peixeis de passagem, tartarugas, arrais e uma incrível diversidade de fauna e flora .
     A Jornada Sub disponibilizada saídas o ano todo, trabalhando com as operadoras CACHALOTE  e ORION. Também oferece o serviço de reservas mesmo quando as saídas não são exclusivas da Jornada Sub .  São operações de "bate e volta" permitindo ótimos mergulhos em um único dia.

Laje de Santos    lancha cachalote

Parque Estadual Marinho da Laje de Santos

Verdadeiro santuário ecológico, A laje de Santos é considerada o melhor ponto de mergulho de São Paulo e um dos lugares mais ricos e belos de toda costa brasileira. Laje é a definição geológica que se dá a rochedos marinhos sem vegetação. A Laje de Santos tem formato semelhante ao de uma baleia, com 550 metros de comprimento, 33 metros de altura e 185 metros de largura em seus pontos mais extremos. Ela abriga, além de milhares de aves, um farol de sinalização da Marinha. O Parque Estadual Marinho, segundo do gênero criado no país, inclui a Laje, vários rochedos e os parcéis do Bandolim, Brilhante, Do Norte e do Sul.

Localizado a menos de 25 milhas marítimas (cerca de 45 quilômetros) da costa, apresenta mar de águas azuis e cristalinas, em que cardumes de sardinhas, atuns, bonitos e xaréus passeiam em verdadeiras "nuvens" coloridas. Com pouco de sorte, é capaz que você possa ainda observar imensas arraias-manta, golfinhos e até baleias! Escolhido por gaivotas e atobás na época de reprodução, o grande rochedo abriga também a espécie denominada trinta-réis, durante sua migração para o hemisfério norte. Para mergulhar em profundidade e admirar tais belezas, é necessário o certificado de mergulhador autônomo, embora seja possível praticar mergulho livre (snorkeling). Mas nem pense em pôr os pés na Laje!

 

kadu pinheiro_laje de santos_arraia kadu pinheiro_laje de santos_enxada
kadu pinheiro_laje de santos-paisagem kadu pinheiro_laje de santos_tartaruga

Pontos de Mergulho

Ponto:
Naufrágio Moréia

Localizado próximo à ponta leste da Laje (à esquerda de quem chega de Santos), foi provocado para atrair fauna e turismo em 1995. Era um pesqueiro de ferro abandonado na região de Bertioga. Estado atual muito instável, desaconselhável penetração em seus porões. Casario parcialmente desabado. Várias espécies de invertebrados (anêmonas, gorgônias, etc) incrustados, garoupas, sargos, corcorocas e salemas também são vistos. Dependendo do período, a presença de correntes e termoclina pode tornar o mergulho desconfortável, mas não apresenta maiores dificuldades desde que o mergulho seja guiado por quem conhece o ponto. Prof. Máxima: 22 m.

Ponto: Parcel das Âncoras

Formação rochosa que parte do lado oeste da Laje. Muitas âncoras de pesqueiros perdidas entre as rochas. Garoupas grandes, cardumes de peixes de passagem, ceriantos e poliquetas tubícolas, caracterizam o local. Exige pelo menos certificação de avançado e boa experiência pela profundidade atingida e pela possibilidade de corrente, já que o ponto perde o abrigo da porção emersa da Laje. Prof. Máxima: 40 m.


Ponto: Piscinas

Um dos pontos mais destacados pela presença de muitos cardumes e tartarugas. Localizando-se na "virada" da Laje de oeste para sudoeste, é comum a presença de correntes. A profundidade pode variar desde 6 a 8m na parte rasa, até mais de 35m na parte funda. Prof. Máxima: 35 m.


Ponto:
Paredão (lado de fora)

Face sul da Laje. Parede praticamente vertical que desce até cerca de 35m. Apresenta uma fenda em torno dos 16m de profundidade que penetra para o interior da rocha, onde se abrigam muitos peixes.
Geralmente várias tartarugas e cardumes de peixes de passagem aparecem durante o mergulho. Exige nível avançado, preferencialmente com boa experiência. Mergulho em "drifting", não sendo possível fundear a lancha. Prof. Máxima: 35 m.


Ponto: Boca da Baleia

O ponto exige condições ideais, pois o refluxo pode ser muito violento. Lado leste. Possibilidade de encontrar peixes grandes, como um mero já avistado no local, e grandes cardumes.

Ponto: Portinho

Face norte e parte mais acessível da Laje, grau de dificuldade baixo. Conta com o apoio das lanchas que têm seus cabos de atracação nessa área. Lajeados e blocos de rochas habitados por muitos peixes e invertebrados, descendo de forma íngreme até o fundo arenoso. Ideal para a permanência de mergulhadores pouco experientes. Prof. Máxima: 18 m.


Ponto:
Calhaus

Cerca de 2 milhas a sudeste da Laje, formação rochosa que possui um túnel em forma de "U", com um arco no centro. Profundidade máxima no túnel de 18m. Cardumes, tartarugas, lagostas, etc. O lado de fora dos Calhaus chega a profundidades de mais de 30m, com lajes e blocos de rochas em formações interessantes. Possibilidade de encontrar peixes maiores e cardumes de peixes de passagem. O túnel exige bom equilíbrio hidrostático devido à oscilação de profundidade. Prof. Máxima: 30 m.


Ponto: Parcel Novo

No mesmo alinhamento dos Calhaus, mais a oeste. A formação começa aos 26m e desce até mais de 40m. Nenhum abrigo, presença de correntes. Só para mergulhadores bastante experientes e com ótimo senso de orientação. Prof. Máxima: 40 m

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

jornadasub_facebook
NAUITEC, naui, jornadasub, mergulho técnico
dan, naui, jornadasub,

 

Jornada Sub Mergulho
Av. Pedro Blanco da Silva, 665 - Jundiaí - SP
Fone: (11) 4586-5051 
jornadasub@jornadasub.com.br

Fotos meramente ilustrativas

Direitos Reservados 2010 - 4Link E-Commerce